Nas motos, Yamaha surpreende favoritos da Honda enquanto a Família Varela honra o favoritismo nos UTVs

Cristian Baumgart e Beco Andreotti lideram nos carros (Marcelo Machado/Fotop)

Os tricampeões em exercício dos carros começaram o Sertões 2019 exatamente como terminaram a prova do ano passado: na liderança. Christian Baumgart e Beco Andreotti concluíram a primeira etapa em 2h39min35s com uma vantagem de mais de um minuto para o a dupla Guiga Spinelli e Yousseff Haddad, não por acaso, os seus principais adversários. Pilotos e navegadores foram unânimes na análise das dificuldades da etapa de estreia. Enfrentaram muito mais saltos do que esperavam e precisaram de enorme cuidado no controle da velocidade nas zonas de radar. Christian escolheu a tática de acelerar ao máximo, Guiga preferiu dizer que ainda estava conhecendo seu carro novo.

Nos UTVS o esperado foi ainda mais visível. Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin completaram a etapa em primeiro lugar com o tempo de 2h58min42, a frente de Pedro Queirolo e Rodrigo Konig, com menos de um minuto atrás. Varela também citou os saltos frequentes como a marca registrada da Especial, mas para os UTVs, a velocidade é limitada a 140 km/h. Varela lembrou ainda das longas retas e da necessidade de muita atenção por parte dos pilotos.

Veio das motos a grande surpresa do dia: a Yamaha chegou na frente da Honda. Ricardo Martins teve um percurso mais favorável para ganhar a especial com o tempo de 5h15min47s na frente do campeão do ano passado, Tunico Maciel. O megastar Jean Azevedo, que já venceu o Sertões sete vezes, completou a especial em quarto lugar para fechar um dia cheio de problemas. A Honda teve ainda a sua primeira baixa: Julio Zavatti, o Bissinho, fraturou o pé logo aos 10km da especial, quando bateu em um toco na beira da estrada. Ainda tentou seguir por mais 100km. Não foi possível. Abandonou a prova chorando com muita dor.

Nos UTVs, vitória de Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin. (Victor Eleutério/Fotop)

Nos Quadris a vitória ficou com o maranhense Marcelo Medeiros, da equipe Taguatur Racing (Yamaha 700R), o bicampeão do Sertões na modalidade (2015 e 2017), com o tempo de 5h44m57. 

Contexto: O Sertões largou de Campo Grande para uma jornada de quase 5.000 km rumo às dunas de Aquiraz (CE). Motos e quadriciclos completaram os 430 km previstos com os obstáculos esperados. Após a passagem de um terço dos UTVs, o proprietário das terras por onde o roteiro passava fechou as porteiras suspendendo a passagem. Como não havia tempo para uma negociação, já que carros e UTVs vinham em plena velocidade, a direção de prova decidiu se antecipar e concluiu a etapa logo após o reabastecimento, 140 km antes do previsto. As mudanças de percurso, seja por conta de obstáculos ou interferências externas de todo o tipo, são comuns nas provas off-road de longa distância. Elas acontecem na maioria das vezes pelo surgimento de obstáculos naturais, árvores caídas, quedas de barreira e etc. Ocasionalmente também surgem interferências externas de toda ordem, como o fazendeiro que hoje suspendeu a passagem de parte dos veículos por suas terras.

Aspas:

“A especial de hoje era muito rápida e exigiu atenção redobrada em função dos radares. Muito bom vencer no primeiro dia, ainda mais com essa gurizada nova aí. Se achavam que essa dupla está acabada, que eu estou velho com meus 60 anos, já mostramos que estamos aqui para brigar e como vai ser o ritmo”, diz Reinaldo Varela, líder dos UTVs.

Ricardo Martins vence a primeira no comando da Yamaha #02 (Vinicius Branca/Fotop)

“Hoje foi um dia muito rápido, com muitos saltos, saltos, saltos o tempo inteiro e foi só para abrir o apetite para o rali que inicia.  Começamos ganhando o colar do líder, essa novidade do Sertões, uma ação bem bacana que estimula a todos, para você, a cada etapa, passar para o adversário ou manter. Nós queremos levá-lo até Fortaleza.”, falou Christian Baumgart.

“O Sertões obriga a gente a ficar sempre muito focado. Concentrado para chegar até o final. Foi isso que eu fiz hoje. Tive um bom dia, mas é só a primeira Especial”, falou Ricardo Martins

Larguei atrás das motos, com poeirão em muitos momentos, mas deu tudo certo e garantimos a primeira posição. O roteiro teve um pouco de tudo, passamos por rios, partes em trial e algumas retas, uma etapa rápida, mas o principal adversário foi mesmo o calor forte e predominante do Sertões”, comentou Marcelo Medeiros.

Pautas:

O Sertões deixa as estradas por onde passa exatamente como as encontrou. Uma equipe técnica, conhecida no jargão off-road como “vassouras”, percorre todo o trecho usado nas provas especiais e nos deslocamentos sem cronometragem recolhendo detritos deixados pelos carros e reparado qualquer estrago que tenha sido feito pela passagem da prova.

As equipes técnicas do Sertões chegam a percorrer quatro vezes o roteiro total da prova, levantando detalhes do percurso e negociando com os proprietários de todas as terras por onde a prova passa. Mesmo assim surgem problemas não previstos.

Marcelo Medeiros é o mais rápido entre os quadriciclos (Vinicius Branca/Fotop)

Resultados: A melhor fonte de resultados do Sertões é o APP da prova. No aplicativo, a mídia encontra também a posição de cada veículo, em tempo real numa conexão com o GPS de cada veículo. O APP Sertões está disponível para Android e IOS com download gratuito.

O Sertões:  Na sua 27ª Edição, o Sertões traz muitas novidades. Projeta o futuro em três dimensões: Esporte, Social e Turismo. O lado competitivo da prova evolui com novos desafios de navegação, velocidade e tecnologia. O lado social, também conhecido pelo trabalho do S.A.S. (Saúde e Alegria nos Sertões), praticamente dobra a sua capacidade de atendimento das populações sertanejas por onde o Sertões passa. Cidades remotas com população carente. Finalmente: a dimensão, turística. O Sertões mostra lugares que pouca gente conhece e, agora, tem uma estrutura capaz de levar turistas para acompanhar a prova e todas as atrações do entorno. Mais ainda, as “expedições Sertões” são agora uma opção de viagens aberta o ano inteiro.