Sertões chega no Jalapão para o momento crítico da prova. Máquinas e pilotos no teste definitivo

Spinelli/Haddad cravaram o melhor tempo entre os carros (Victor Eleuterio/Fotop)

 Enquanto o campeão em exercício das motos Tunico Maciel seguiu puxando a fila das motos para sua quarta vitória consecutiva nas especiais do Sertões 2019, o grupo de favoritos nos carros teve um princípio de revolução.

O pentacampeão Guiga Spinelli, conhecido entre os adversários mais próximos como “o professor”, ganhou a sua primeira especial da prova. Tirou pouco mais de três minutos da diferença que o separava dos líderes na geral, a dupla Cristian Baumgart e Beco Andreotti. Guiga e o navegador Yousseff Haddad completaram a especial em 4h06m58s à frente de Marcos Baumgart / Kleber Cincea. Cristian segue liderando a classificação geral, mas agora já consegue ver os rivais no retrovisor.

O líder das motos, Tunico Maciel nem precisa usar o espelhinho que mostra os seus perseguidores. Venceu a quarta especial seguida em 04h10m49s, com Jean Azevedo em segundo e Gregório Caselani em terceiro. O trio de pilotos da equipe oficial da Honda domina amplamente o Sertões este ano e se nenhum acidente ou defeito mecânico aparecer deve decidir a vitória entre colegas de trabalho.

Nos UTVS também houve  uma reviravolta com a primeira vitória da dupla Deni Nascimento/Idali Bosse na prova. Com o resultado, eles encostaram nos líderes Bruno Varela/Gustavo Bortolanza, que hoje chegaram na 8ª posição.  Agora a diferença está em apenas 46 segundos.

Nos quadris o domínio continua com Marcelo Medeiros, que venceu pela quarta vez e segue isolado na liderança.

Contexto: O Sertões chega no Jalapão com um programa de gala. Em seu palco mais icônico, o maior rally das Américas traz a etapa Maratona, um jantar a céu aberto para todos os pilotos e equipes além de dois convidados de honra, o apresentador global Luciano Huck e o comediante youtuber Whindersson Nunes.

Deni Nascimento/Idali Bosse vencem pela primeira vez nos UTVs na edição 2019 (Victor Eleuterio/Fotop)

A etapa Maratona é aquela onde os pilotos e as máquinas não podem receber assistência mecânica. Só os pilotos e os navegadores podem fazer a manutenção das máquinas, com peças e ferramentas que tenham trazido consigo. Os veículos, carros, motos, quadris e UTVs, completam dois dias de prova, tendo de cuidar do equipamento como cuidariam dos filhos. Qualquer acidente ou falha mecânica é fatal para as chances de vitória.

O jantar do Jalapão aconteceu no acampamento da Vila Sertões, em São Félix do Jalapão/TO. Todos estão convidados e a maioria deles optou por acampar sob o céu do Tocantins. É o momento em que a família Sertões passa a noite com seus melhores amigos no lugar que todos mais gostam.

Os convidados de honra da edição 2019 do Sertões são Luciano Huck e Whindersson Nunes. Luciano chegou ontem em Bom Jesus (PI), jantou com a mãe de Whindersson, na casa dela. Depois visitou o projeto social do Rally, S.A.S. – Saúde e Alegria no Sertões e na parte da tarde foram treinar com um UTV de competição. Luciano ao volante e Whindersson como Navegador.

Aspas:

“Tivemos uma excelente performance hoje, conseguimos o 1º lugar e encurtamos a distância para o Cristian e Beco. E amanhã vamos largar aparentemente com o carro em plenas condições de continuar fazendo um bom rally. Vai ser a especial mais longa da história do Sertões e promete ser duríssima também. Então agora é voltar ao foco e concentração, comemorando o dia de hoje, mas amanhã começa tudo de novo. O rally entra na sua reta final nesses dois próximos dias que sem dúvida devem decidir a prova”, disse Guiga

“A etapa de hoje foi muito prazerosa de acelerar, mas tive que cuidar do equipamento, ataquei aonde precisava atacar e soube preservar em outros momentos. Foi bem escolhido o roteiro, já tinha passado em alguns lugares. Em Lizarda foi bacana a zona de expectadores, tinha muita gente por lá. Estou feliz porque consegui colocar a moto perfeita no parque fechado. Agora é continuar focado, o rally tem muito pela frente ainda, amanhã é largar bem e fazer mais uma boa prova”, disse Tunico Maciel.

“Sabíamos que tinha uma especial dura, a primeira perna da etapa maratona, conseguimos imprimir um ritmo bom desde o início com uma especial limpa e o resultado veio porque estamos nos dedicado muito e em esforço conjunto com a equipe que trabalhou firme para que atingíssemos esse resultado”, disse o piloto Deni Nascimento.

Nos quadris, Medeiros conquista sua quarta vitória das cinco disputadas (Gustavo Epifanio/Fotop)

 “Foi uma especial com muita areia, diferente dos dias anteriores, muito quente, e numa condição de ambiente que não era favorável para desenvolver velocidade no quadriciclo, e faz com que o equipamento fique com temperatura alta, e essa foi nossa principal dificuldade. Fora o desgaste físico, cuidando para não desidratar. Na travessia de rios profundos, passei bem. Conseguimos um bom resultado para largar amanhã e partir para a segunda parte do Jalapão”, disse Marcelo Medeiros.

Pautas:

As etapas disputadas no Jalapão costumam ser as mais difíceis do Sertões. O piso é talvez o maior fator de complicação, ora com muita areia, ora com pedriscos e o famoso capim dourado. O Jalapão tem poucos acessos. Quem perde uma das “portas de entrada” pode demorar horas, ou até dias para encontrar o caminho de casa. Pior fica quem bate ou tem problemas mecânicos, com poucos acessos o resgate terrestre pode demorar até sete horas para chegar. O piloto e eventualmente seu navegador ficam lá, num calor de 40 graus, um sol de rachar sem outra opção senão esperar.

Que peças levar para uma moto, carro ou UTV que vai andar o Jalapão e passar 36 hs sem assistência mecânica? Equipes com mais de um veículo costumam tirar peças das máquinas que estão mais atrás na classificação geral para garantir que os líderes ou pilotos com melhor colocação possam seguir em frente. Muitas vezes porém o que salva é uma fita adesiva ou até durepoxi. Foi assim que os pilotos da equipe Honda resolveram um problema no tanque de gasolina da moto do líder, Tunico Maciel que tinha “um furinho no tanque de gasolina” quando chegou ao Jalapão hoje.

Um dos motivos que levaram a organização do Sertões a planejar a etapa Maratona no Jalapão foi para evitar que os caminhões e trailers das equipes ficassem circulando pela região que os amantes do rally consideram o seu “templo sagrado”. Veículos mais pesados podem afetar a vegetação e o relevo local.  

Resultados: A melhor fonte de resultados do Sertões é o APP da prova. No aplicativo, a mídia encontra também a posição de cada veículo, em tempo real numa conexão com o GPS de cada veículo. O APP Sertões está disponível para Android e IOS com download gratuito.

O Sertões:  Na sua 27ª Edição, o Sertões traz muitas novidades. Projeta o futuro em três dimensões: Esporte, Social e Turismo. O lado competitivo da prova evolui com novos desafios de navegação, velocidade e tecnologia. O lado social, também conhecido pelo trabalho do S.A.S. (Saúde e Alegria nos Sertões), praticamente dobra a sua capacidade de atendimento das populações sertanejas por onde o Sertões passa. Cidades remotas com população carente. Finalmente: a dimensão, turística. O Sertões mostra lugares que pouca gente conhece e, agora, tem uma estrutura capaz de levar turistas para acompanhar a prova e todas as atrações do entorno. Mais ainda, as “expedições Sertões” são agora uma opção de viagens aberta o ano inteiro.

Domínio absoluto de Tunico Maciel nas motocicletas (Ricardo Leizer/Fotop)

Confira o resultado da quinta etapa (Extra oficial):

MOTOS

1) #1 Tunico Maciel, Production Aberta, Honda CRF 450RX, 04h10m49s

2) #3 Jean Azevedo, Super Production, Honda CRF 450RX, 04h15m46s

3) #5 Gregório Caselani, Super Production, Honda CRF 450RX, 04h17m59s

QUADRICICLOS

1) #102 Marcelo Medeiros, Yamaha YFM 700R, Taguatur Racing, 05h02m19s

2) #105 Giovanni de Castro, Yamaha Raptor 700r, 05h22m28s

3) #101 Wescley Dutra, Yamaha Raptor, 05h40m51

UTVs

1) #202 Denisio do Nascimento/Idali Bosse, Pro Elite, Can-Am X3, 4h26m03s

2) #216 Rodrigo Varela/Fábio Pedroso, Pro, Can-Am X3, 04h27m04s

3) #247 Cristian Domecg / Joao Luís Stal, Can-Am Maverick X3, 04h27m40s

CARROS

1) #302 Guilherme Spinelli/Youssef Haddad, T1-Codasur, L200 Triton Sport Racing, 4h06m58s

2) #303 Marcos Baumgart / Kleber Cincea, T1-Codasur, Ford Ranger X-Rally, 4h09m39s

3) #301 Cristian Baumgart/Beco Andreotti, T1-Codasur, Ford Ranger X Rally, 4h10m12s

Resultado acumulado após a quinta etapa (Extra Oficial):

MOTOS

1) #1 Tunico Maciel, Production Aberta, Honda CRF 450RX, 22h08m43s

2) #5 Gregório Caselani, Super Production, Honda CRF 450RX, 22h23m33s

3) #3 Jean Azevedo, Super Production, Honda CRF 450RX, 22h33m45s

QUADRICICLOS

1) #102 Marcelo Medeiros, Taguatur Racing Team, 25h47m27s

2) #101 Wescley Dutra, Girão Racing, 27h46m44s

3) #107 Milton Martens, Martens Rally Team, 27h58m59s

UTVs

1) #225 Bruno Varela/Gustavo Bortolanza, Pro Elite, Can-Am X3, 21h14m17s

2) #202 Denisio do Nascimento/Idali Bosse, Pro Elite, Can-Am X3, 21h15m01s

3) #210 Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin, Over, Can-Am X3, 21h35m15s

CARROS

1) #301 Cristian Baumgart/Beco Andreotti, T1-Codasur, Ford Ranger X Rally, 18h53m56s

2) #302 Guilherme Spinelli/Youssef Haddad,  T1-Codasur, L200 Triton Sport Racing, 18h57m38s

3) #303 Marcos Baumgart/Kleber Cincea, T1-Codasur, Ford Ranger X Rally, 19h14m28s

Próximas etapas:

6ª etapa – 30/08
São Félix do Tocantins (TO) – Bom Jesus (PI)
Trecho Cronometrado – 540 km
Total: 542 km

7ª etapa – 31/08Bom Jesus (PI) Crateús (CE)
Trecho Cronometrado – 320 km
Total: 941 km

8ª etapa – 01/09
Crateús (CE) – Aquiraz (CE)
Trecho Cronometrado – 30 km
Total: 405 km


Total da Prova: 4.887,59 km
Total Cronometrado (Especiais): 2.858,46 km