Passeio Radical promete muita lama e emoção na Fenajeep 2017

Trilha foi definida no último final de semana e contará com percurso de 40 quilômetros

 

 

O último final de semana foi de trabalho intenso para a equipe que organiza a prova do Passeio Radical da XXIV Festa Nacional do Jeep – Fenajeep 2017. O responsável pela prova é Humberto José Rezini, o Beto, que percorreu desde o mês de março, diversos trechos da cidade de Brusque e municípios vizinhos com sua turma, em busca da trilha perfeita.

A tarefa não é tão simples quanto parece. Segundo Beto, a trilha ideal é aquela que tem bastante lama, rios, atoleiros, obstáculos que podem ser passados e que garantem emoção e adrenalina na dose certa que o Passeio Radical precisa, tudo isso, em um só lugar. “Às vezes é difícil conseguirmos juntar tudo isso em uma mesma região, mas sempre pensamos nos participantes, se eles vão gostar de fazer essa trilha”, frisa Beto.

 

 

Depois de percorrerem quilômetros e quilômetros em busca da trilha perfeita, a equipe bateu o martelo na última sexta-feira, Feriado de Tiradentes. Desta forma, o Passeio Radical será para a região de Nova Trento e Botuverá.

O trajeto terá cerca de 40 quilômetros e a prova deve durar uma média de 4 a 5 horas. A saída do Passeio Radical acontece da Fenajeep, no estacionamento ao lado do Pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof e está marcada para as 8h30 do dia 17 de junho, sábado.

 

 

Ajudinha extra

Beto explica que a expectativa da organização do evento é contar com a participação de 100 a 120 jipes no Passeio Radical. Obrigatoriamente, para fazer a prova os veículos devem ser 4×4 e ter até dois integrantes por jipe. “Temos a proibição do consumo de bebidas alcoólicas na trilha, e as demais regras seguem o que o determina o Código de Trânsito Brasileiro”, enfatiza.

A trilha não é perigosa, e os participantes poderão contar com veículos de apoio. Serão dez jipes e um trator, para puxar os automóveis que não conseguirem passar nos pontos mais radicais do trajeto.

 

 

 

“Teremos também o ‘limpa trilha’, veículos que farão todo o percurso no final, com o intuito de localizar os jipeiros que se perderam ou precisam de ajuda. É uma trilha muito bonita. Nossa região conta com muitos rios, muita mata, muita lama e eu acredito que o pessoal vai gostar”, projeta Beto.

 

Expectativa

A definição da trilha é muito importante, porém, o tempo também conta muito para deixar o passeio ainda melhor, segundo Beto. “Estudamos sempre o melhor local, mas se chover dias antes, a trilha ficará mais radical. Se não chover, vai seca, embora conte com pontos constantes de lama. Apesar disso é um passeio muito interessante, com dois pontos principais de atoleiro. Nossa expectativa é de que o pessoal goste muito. Não é uma trilha perigosa, intransponível, é uma trilha com rio, mata e muito bacana”, avalia.

 

 

 

Recomendações para o veículo

Segundo Beto, é importantíssimo que os participantes do Passeio Radical estejam atentos aos seus jipes. “A mecânica deve estar em dia, os pneus também são importantes, devem ser bem borrachudos, de garra, e estar em ótimo estado, para enfrentar os atoleiros. E além disso, tanque de combustível cheio”, comenta.

 

 

 

 

 

Saiba Mais

Conheça o grupo responsável pela definição da trilha do Passeio Radical:

Humberto José Rezini ‘Beto’

Luiz Eduardo Rezini ‘Dudu’

Leandro Hochsprung

Vilson Dalcegio

Mauricio Witicowsky

Gustavo Ullrich

Vilimar Ullrich

Rogério Schlindwein

Luciano Witicowsky

 

 

Serviço

XXIV Fenajeep – Festa Nacional do Jeep

De 14 a 18 de junho

Em Brusque-SC

Passeio Radical

Dia 17/06

Saída às 8h30 do estacionamento do Pavilhão

Só podem participar veículos 4×4