Esse 4×4 é um grande exemplo de como a manutenção faz toda diferença na vida útil de um carro. O cuidado faz toda a diferença

Por James Garcia Fotos Arquivo Pessoal

A Cherokee 96 já restaurada

Quando meu colega de trabalhos automobilísticos, Alexandro Salgado, 48, comentou que estava dando uma “geral” em um Jeep Cherokee 96, não imaginava o nível de restauração que ele estava fazendo.

Alexandro Salgado em uma das pistas que construiu recentemente

Salgado, que é entusiasta 4×4, membro do Jipe Clube Comando Oeste, de Osasco, SP, e trabalha como instrutor de veículos, projetista e construtor de pistas off-road para testes, fez, com a ajuda de alguns bons profissionais/amigos, um trabalho impressionante nesse 4×4, que estava praticamente abandonado em Embu das Artes, SP.

Antes da restauração: manchada e e envelhecida

Esse Jeep ficou embaixo de uma árvore, parado por muito tempo e, tanto a lataria como a parte interior, bancos, carpetes, painéis, foram invadidos por uma camada de sujeira.

Na oficina, sendo inteiramente polida

O Jeep Cherokee XJ 1996 foi comprado por Salgado em outubro de 2018 e, desde então, vem passando por um processo minucioso de restauração. E de acerto de regularização também, já que estava com todos os documentos atrasados. Em suma, o carro estava abandonado.

Aquele trato na mecânica, suspensão e pneus

De lá até agora, a Cherokee recebeu uma revisão mecânica completa, com a troca de todos os selos d’água; o reparo de todos os pequenos vazamentos que haviam, foi feita a troca do radiador, velas, todos os lubrificantes, filtros e além disso, os componentes mecânicos foram limpos. 

Mecânica totalmente revisada

As rodas originais chamam atenção

Também receberam atenção as pastilhas, discos dianteiros, tambores e lonas traseiros de freios e para substituir os pneus que estavam muito desgastados, o Jeep recebeu um jogo de 4 Firestone mud 31 x 15″.

Interior totalmente higienizado

Ainda na parte mecânica, o Jeep teve pivôs, terminais, buchas da barra estabilizadora substituídos por peças novas e, claro ganhou regulagem de alinhamento, balanceamento e cambagem.

Beleza americana

Para aquele upgrade no visual, foram instalados calços de molas, feitos de poliuretano, com 1,5″ (3,84 centímetros).

A lataria foi uma das partes que mais exigiu atenção. Embu das Artes é um lugar muito agradável, de natureza e verde por todos os lados, mas a umidade e o bolor tomam conta de tudo.

Por conta disso, os para choques, a grade dianteira, as maçanetas e todas as peças menores foram retiradas e limpas. A carroceria foi polida por completo com uma lixa 1200 e nesse processo foi retirada toda a camada de sujeira e manchas de bolor.

A tampa traseira tinha uma pequena batida, foi reparada e pintada. O mesmo aconteceu com as bonitas rodas originais, totalmente limpas, repintadas e, por fim, receberam as calotinhas originais, importadas por Salgado, junto a outras peças menores, como logos, emblemas e retrovisores.

O interior teve as peças plásticas, painel incluso, retiradas e lavadas com produtos específicos para plásticos. Os bancos de couro foram limpos e o carpete ganhou um tratamento especial, sem que houvesse a necessidade de retirá-los. Há processos em que se aplica o produto e, na sequência, já é retirado e seco pela mesma máquina.

O resultado final você vê nas imagens e é fácil perceber como o trato e o carinho fazem toda a diferença. O Cherokee ficou tão bonito que foi convidado a ser exposto na entrada do último evento da Jeep, realizado em São Paulo, O Jeep Territory.

Afinal de contas, o que é bonito tem que ser mostrado.